O mal que fazemos

depression-2912404_1280

    Fomos criados para fazer o bem. Quando optamos pelo contrário, precisamos ter a consciência das consequências das nossas atitudes e esperar pela resposta do Senhor.

     Caim, em Gênenis 2, se enfureceu com Deus por Ele não aceitar a sua oferta e matou seu irmão Abel. Caim sofreu todas as consequências desse assassinato. Virou ser errante, andando pelo mundo, sem colher frutos na terra em que plantava.

     Caim nunca pensou que o erro tivesse partido dele ao entregar uma oferta que não foi das melhores. Ele sentiu inveja do seu irmão Abel que teve coração amável ao entregar ao Senhor sua melhor oferta. Caim cometeu o homicídio por atribuir ao irmão, o seu erro. Abel não cometeu nenhuma falha e morreu.

     Muitas vezes acreditamos ser Abel, mas somos Caim. Muitas pessoas atribuem suas falhas, insucessos e consequências desastrosas das suas atitudes à outras pessoas e podem passar toda a vida realmente crendo nisso.

     Se você não sabe por que sofre tanto, analise suas atitudes. Seja mais criterioso consigo mesmo. Utilize pessoas próximas, em quem confia, para que elas digam por que acham que isso está acontecendo com você e esteja aberto para receber a reposta.

     Se ainda assim, você não percebe os erros que o levaram a essas consequências em que vive, converse com Deus. Peça pra que Ele clareie a sua mente, mostre o que desagrada em você. Deus vai lhe revelar e pode até usar alguém para isso.

  Fique atento, o mal que fazemos retorna pra gente. Ore, reconheça, peça perdão a Deus e a quem você magoou e mude de atitude. Você viverá outros tempos.

Por Raquel Monteiro

Share on facebook
Facebook
Share on google
Google+
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest